Activision promete corrigir Call of Duty em meio a feedback negativo para Warzone e Vanguard

A Activision divulgou uma declaração na qual reconheceu as frustrações que alguns jogadores estão relatando no conjunto de jogos Call of Duty, prometendo que correções e melhorias estão chegando.

Postando no Twitter, a Activision disse: “Nós ouvimos você e sentimos suas frustrações”.

“Nossas equipes estão trabalhando duro para resolver os problemas que estão ocorrendo em Vanguard, Warzone e Modern Warfare. As atualizações estão sendo implantadas o mais rápido possível. Queremos que todos tenham uma experiência perfeita, não importa quais jogos, modo de jogo ou plataforma em que você joga”, disse a Activision.

A empresa disse que o feedback dos jogadores é “crítico” para o processo de desenvolvimento, e a empresa disse aos fãs para ficarem de olho nas próximas mudanças.

Para Warzone Pacific, a Activision disse que tem vários problemas conhecidos que está investigando no momento, incluindo o desempenho do console no Xbox e PlayStation, além de um bug que faz com que algumas skins pareçam invisíveis. O desenvolvedor Raven Software também está rastreando um problema com congelamentos relacionados a Buy Stations.

Para a Vanguard, a Sledgehammer disse que fará mais alterações em armas e equipamentos, enquanto corrigirá problemas relacionados ao killstreak de Attack Dogs, bem como problemas relacionados a desafios. A Sledgehammer acrescentou que está trabalhando em correções para problemas de desconexão de grupo com matchmaking e está procurando melhorar a diversidade da rotação de mapas. Para os zumbis, a tão esperada adição de uma opção de pausa está chegando.

Espera-se que a série Call of Duty cresça novamente em 2022 com o lançamento da sequência de Modern Warfare da Infinity Ward supostamente focada nos cartéis de drogas colombianos. Além disso, a Solid State Studios da Activision está desenvolvendo um novo jogo para celular Call of Duty.

Tudo isso está acontecendo enquanto a Activision Blizzard enfrenta um processo do estado da Califórnia por suposta discriminação e assédio sexual de mulheres.