---------------------------------------------------

O titular God of War regressou à PlayStation 4 para lançar uma nova trilogia de jogos na mitologia nórdica. Kratos parece melhor do que nunca, assim como a própria franquia ao contabilizar as vendas da última parcela gerada.

Em entrevista recente ao New York Times, o presidente e executivo-chefe Kenichiro Yoshida revelou que God of War como uma franquia já vendeu mais de 51 milhões de cópias em todo o mundo. Embora uma divisão não tenha sido compartilhada, o número impressionante potencialmente coloca a parcela do PS4 (também intitulada God of War) em mais ou perto de 20 milhões de cópias vendidas apenas no PS4.

God of War foi lançado para PS4 em abril de 2018 e vendeu mais de 10 milhões de cópias em maio de 2019, com a qual a franquia ultrapassou 40 milhões de cópias vendidas em todo o mundo. Isso significa que 11 milhões de cópias adicionais ou mais da franquia foram vendidas desde então para compensar os 51 milhões mencionados acima. A maioria dessas 11 milhões de cópias tem que ser predominantemente para o PS4. Isso significa que God of War no PS4 está fechando em 20 milhões de cópias vendidas ou já passou. Qualquer uma das formas representa uma grande conquista para a franquia.

Yoshida apontou na entrevista que os jogos exclusivos (e franquias) originais foram os principais responsáveis ​​pelo sucesso que o PlayStation 4 teve na última geração do console. Ele atribuiu o sucesso não apenas a God of War, mas também a Ghost of Tsushima, que já vendeu mais de 5 milhões de cópias. A ideia é que a Sony continuará a se concentrar em produtos exclusivos para impulsionar as vendas no PS5.

O Santa Monica Studio está atualmente trabalhando em God of War: Ragnarok para PS5 como uma sequência do original do PS4. O seguimento continua a ser revelado, embora com rumores apontando para um lançamento no final de 2021, no mínimo. Isso pode não acontecer, uma vez que a Sony Interactive Entertainment já garantiu o segundo semestre de 2021 para a Horizon Forbidden West. Lançar duas sequências gigantescas tão próximas uma da outra é sempre questionável.